SAÚDE QUE SE VÊ

Covid-19: Coreia do Norte ordena confinamento em Pyongyang por cinco dias

LUSA
25-01-2023 11:22h

As autoridades norte-coreanas ordenaram um confinamento de cinco dias a partir de hoje em Pyongyang, após o aumento das infeções de uma doença respiratória não especificada, divulgou hoje o meio de comunicação especializado NK News.

A decisão determinou que os cidadãos devem permanecer nas suas casas até ao próximo domingo e ainda enviar às autoridades a temperatura corporal várias vezes ao dia, de acordo com o NK News, que teve acesso à comunicação oficial do Governo norte-coreano.

As autoridades norte-coreanas indicaram que tais medidas foram tomadas devido ao "aumento" de casos de doenças respiratórias, como o resfriado comum, embora não tenham mencionado a covid-19.

No momento, não se sabe se há outras áreas do país sujeitas ao confinamento, que é semelhante a outro que ocorreu em maio de 2022, quando o regime reconheceu a propagação do SARS-CoV-2 no país.

A Coreia do Norte anunciou em agosto passado que havia erradicado completamente o vírus do seu território, uma afirmação que foi colocada em dúvida por muitos especialistas devido às condições do sistema de saúde do país e pela falta de vacinas e testes, entre outros fatores.

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, declarou a "vitória" sobre a covid-19 e ordenou o levantamento das medidas de restrição mais graves, apenas três meses depois de o país ter detetado oficialmente o seu primeiro caso do novo coronavírus.

O regime disse que, naquele período, cerca de 4,7 milhões de pessoas - ou 20% da população do país – tiveram a doença e que mais de 20 morreram, dados que não se encaixam na evolução da pandemia em outros países e que leva os especialistas a pensar que muitos dos casos contabilizados como suspeitos poderiam ser de febre tifoide.

Da mesma forma, na segunda-feira, a televisão estatal norte-coreana transmitiu um documentário exaltando a forma como foi tratada a covid-19 no país, um "evento sem precedentes" que levou o país a um encerramento total das suas fronteiras.

MAIS NOTÍCIAS