SAÚDE QUE SE VÊ

Covid-19: Número de concelhos da AMPorto sob risco muito elevado sobe de 4 para 10

LUSA
22-07-2021 17:26h

O número de concelhos da Área Metropolitana do Porto sob risco muito elevado de incidência de covid-19 passou de quatro para 10 numa semana, enquanto na Área Metropolitana de Lisboa todos os municípios permanecem no grupo com medidas mais restritivas.

A lista de municípios em risco muito elevado divulgada hoje pela ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, durante a conferência de imprensa relativa à reunião semanal do Conselho de Ministros, passou a incluir Espinho, Gondomar, Maia, Paredes, Póvoa de Varzim e Valongo, que se juntam assim ao Porto, Santo Tirso, Matosinhos e Vila Nova de Gaia, que na semana passada já estavam sujeitos às medidas mais restritivas no âmbito da pandemia.

No grupo de concelhos em risco elevado permanece a Trofa, município ao qual se juntam esta semana Santa Maria da Feira, São João da Madeira e Vila do Conde. Fora dos dois grupos de maior incidência continuam Oliveira de Azeméis, Vale de Cambra e Arouca, sendo que este último, na semana passada, estava em risco elevado.

Assim, dos 17 concelhos que integram a Área Metropolitana do Porto, 10 estão sob risco muito elevado (na semana passada eram quatro) e quatro sob risco elevado (oito na semana passada).

Quanto à Área Metropolitana de Lisboa (AML), os 18 concelhos mantêm-se sob risco muito elevado, tal como na semana passada.

Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira são os municípios que integram a AML.

Quanto à região do Algarve, formada por 16 concelhos, passou a ter 12 sob risco muito elevado: Albufeira, Faro, Lagoa, Lagos, Loulé, Olhão, Portimão, São Brás de Alportel e Silves, que já estavam na semana passada sujeitos às medidas mais restritivas, aos quais se juntam Tavira, Vila do Bispo e Vila Real de Santo António.

Sob risco elevado de incidência de covid-19 estão Alcoutim e Castro Marim, sendo que este último concelho já se encontrava neste nível na semana passada. Fora dos dois grupos de maior risco estão Aljezur (tal como na semana passada) e Monchique (elevado na semana passado).

Quanto às 18 capitais de distrito em Portugal continental, mantêm-se seis em risco muito elevado, nomeadamente Faro, Lisboa, Porto, Aveiro, Setúbal e Viseu.

Por outro lado, aumentaram de quatro para sete as que estão agora em risco elevado, juntando-se a Braga, Coimbra, Leiria e Santarém os concelhos de Guarda, Viana do Castelo e Vila Real.

Em situação de alerta estão Beja, Bragança e Évora.

As restantes duas capitais de distrito – Castelo Branco e Portalegre - estão fora dos dois grupos mais elevados de risco de incidência da covid-19 ou de alerta.

Segundo a atualização do mapa de risco, dos 278 concelhos de Portugal continental, 61 estão agora em risco muito elevado e 55 em risco elevado, contabilizando um total de 116 territórios em maior risco, quando na semana passada eram 90.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.128.543 mortos em todo o mundo, entre mais de 191,9 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.248 pessoas e foram registados 943.244 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

MAIS NOTÍCIAS