Aguarde...

SAÚDE QUE SE VÊ

Médicos acusam Governo de transformar périplo na saúde num somatório de ‘corta-fitas’

LUSA
13-03-2019 10:31h

Ordem dos Médicos lamenta que o Governo use expedientes propagandísticos para “escamotear os verdadeiros constrangimentos” do setor.

A propósito do anúncio pelo Governo de que iria realizar um périplo no setor da Saúde para “conhecer melhor” a realidade, a Ordem dos Médicos entende que não é “um somatório de ‘corta-fitas’ que configura o reconhecimento dos problemas existentes no serviço público”.

“O uso deste tipo de expedientes propagandísticos serve penas para escamotear os verdadeiros constrangimentos que prejudicam diariamente os profissionais de saúde e os doentes”, refere a OM numa nota enviada à agência Lusa.

No seguimento de a Lusa ter noticiado que a bastonária da Ordem dos Enfermeiros iria acompanhar o Governo, incluindo o primeiro-ministro, numa visita inserida neste périplo do setor, o gabinete de António Costa veio esclarecer que o convite foi endereçado a “todas as ordens do setor” pela secretaria-geral do Ministério da Saúde.

Em resposta à Lusa, a Ordem dos Médicos afirma que até ao momento “não recebeu qualquer convite para um suposto périplo da Saúde, anunciado pela ministra no dia 8 de março”, tendo existido apenas dois convites recentes para duas inaugurações.

“O primeiro, datado de 11 de março (segunda-feira), e com apenas 24 horas de antecedência, dizia respeito à inauguração do Centro de Saúde António Arnaut, no Cadaval. O segundo, com a data de hoje, e também com 24 horas de antecedência, remetia para outra inauguração, neste caso da Unidade de Saúde Familiar Beira Tejo, em Abrantes”, acrescenta a OM.

A Ordem dos Médicos apela ao Governo para que promova “de facto, um verdadeiro périplo pelo Serviço Nacional de Saúde, com visitas surpresa e não com encenações que em nada dignificam o poder político”.

Na sexta-feira, o Governo anunciou que iria percorrer o país para conhecer o que de melhor e pior acontece na saúde em Portugal, com a ministra Marta Temido a indicar que estavam programadas várias iniciativas “para conhecer melhor aquilo que é a realidade das coisas boas e das coisas menos boas que acontecem por esse país”.

MAIS NOTÍCIAS